FAQ

1. Porque se chama Campanha 10:23?

O número 10:23 refere-se à hora na qual os activistas, em todo o mundo, tomaram (em 2010) e tomarão (em 2011) parte na ação de ‘0verdose’.

A 30 de Janeiro de 2010, às 10:23 da manhã, mais de 400 apoiantes engoliram um frasco inteiro de remédios homeopáticos por forma a consciencializar o público sobre os facto destes supostos medicamentos não terem ingredientes activos.

Escolhemos o tempo 10:23 reportando-nos à constante de Avogrado, 6.022×1023, isto é, o valor a partir do qual uma diluição de uma substância já não tem uma só molécula da substância inicial. Além disso, horários fora do normal dão mais facilmente nas vistas.

2. Esta campanha tem o patrocínio da indústria farmacêutica?

A campanha 10:23 é organizada pela Merseyside Skeptics Society. Esta organização, a campanha 10:23 e o grupo de cidadãos em Portugal que se aliaram a esta iniciativa não têm nenhum tipo de vínculo ou filiação com nenhum fabricante de produtos farmacêuticos.

Como aparte, será talvez importante notar que a Boots, uma companhia farmacêutica britânica, é o principal alvo da campanha no Reino Unido, e que a campanha em Portugal também é crítica das farmácias nacionais que vendem produtos homeopáticos.

3. E a liberdade de escolha? Não acaba por ser, esta campanha, anti-escolha?

Qualquer escolha feita por um paciente terá que ser informada, pois se não o for não é escolha nenhuma. Os dados científicos mais rigorosos demonstram que a homeopatia não funciona e os pacientes devem ser informados disto antes de escolherem usar homeopatia.

Por outro lado, esta campanha não procura a proibição da homeopatia. Simplesmente pedimos [no Reino Unido] que a cadeia de farmácias Boots, e as farmácias em geral [em Portugal] deixem de aportar credibilidade a este ‘tratamento’ infundado. O mero facto de uma farmácia vender homeopatia sugere aos pacientes que a homeopatia funciona. A própria Boots, no Reino Unido, admite que procuraram provas para defender a homeopatia e não as encontraram.

Os produtos homeopáticos continuam amplamente disponíveis em lojas de produtos ‘naturais’, na Internet e directamente através dos homeopatas, caso alguém queira usar estes produtos.

4. Porque é que a homeopatia parece funcionar em algumas ocasiões?

Existem dezenas de razões pelas quais a homeopatia parece funcionar para alguns indivíduos em algumas situações.

Por exemplo, muitas pessoas confundem correlação com causa. O corpo humano tem um sistema imunitário robusto e altamente complexo, que consegue eliminar muitos dos seus atacantes por si próprio. Quando alguém começa a sentir-se melhor após tomar um remédio homeopático, poderão achar que foi o remédio que apressou a sua recuperação. Na verdade, não existe razão nenhuma para acreditar que esses dois eventos estão relacionados; a pessoa poderia ter-se recuperado com a mesma rapidez sem a intervenção homeopática.

Outro exemplo são os efeitos placebo. Referimo-nos a uma substância inerte, como um comprimido de açúcar, por exemplo, que pode melhorar a condição de um paciente simplesmente porque o paciente tem a expetativa de que isso vá acontecer. Uma pessoa que use homeopatia poderá começar a sentir-se melhor porque esperam sentir-se melhor, não porque a homeopatia tivesse de facto feito algo para os curar.

Os cientistas desenvolveram uma técnica chamada Teste de Controlo Aleatório (Randomised Controlled Trial), que corrige erros de metodologia, efeitos placebos e outros preconceitos. Através do uso deste tipo de teste, a ciência tem conseguido demonstrar com confiança que, ao retirarmos todas as fontes de erro, a homeopatia, de facto, não funciona.

5. A homeopatia não é o mesmo que produtos da ervanária?

Não, mas isso é uma confusão comum.

Os produtos de ervanária e a homeopatia são conceitos distintos, sendo que os ‘remédios’ homeopáticos estão mais próximos de poções mágicas do que qualquer outra coisa. Muitos produtos de ervanária têm efeitos reais e mensuráveis no corpo humanos; alguns deles até estão na base de tratamentos médicos modernos. A aspirina, por exemplo, deriva da casca de Salgueiro.

Por outro lado, não existem ingredientes activos na maioria dos tratamentos homeopáticos. É só água e açúcar.

6. Se a homeopatia é só água, porque é que os remédios que compro na farmácia vêm em comprimidos?

As preparações homeopáticas são criadas através da diluição repetida, em água, muitas vezes a um ponto tal que o ‘ingrediente activo’ fico completamente diluído e desaparece.

Alguns homeopatas administram simplesmente essa água que resta como ‘remédio’.
Outros, incluindo aqueles que fornecem a homeopatia para as farmácias, pingam essa água em pastilhas de açúcar e deixam secar. É este açúcar que depois é vendido como ‘medicamento’.

Seja como for, água ou açúcar, não tem nada lá dentro.

7. A cadeia britânica Boots afirmou que apoia a promoção de estudos científicos sobre a homeopatia. Isso é bom, não é?

Como princípio, sim, mas esses estudos já foram feitos, e mostram que não existe efeito nenhum.

Em 2005, por exemplo, o ‘The Lancet’, uma respeitada publicação médica, publicou uma análise conduzida pela Universidade de Berna, Suíça. Esta análise examinou os estudos sobre homeopatia disponíveis e identificou 11o investigações aos seus efeitos bem conduzidas. O resultado desses testes foram então comparados aos de 110 investigações bem conduzidas a terapias médicas convencionais para as mesmas doenças ou condições.

O estudo concluiu:

A parcialidade está presente em testes controlados contra placebos, tanto na homeopatia como na medicina convencional. Ao ser levado em conta, descobriu-se que existem provas fracas para um efeito específico nos remédios homeopáticos, mas provas fortes para efeitos específicos nas intervenções convencionais. Esta descoberta é compatível com a noção de que os efeitos clínicos da homeopatia são efeitos placebo.

Portanto, o estudo viu que o efeito placebo estava presente em ambos as modalidades, isto é, dava-se o caso de existir uma certa tendência dos pacientes para ficarem melhor porque achavam que estavam a ser curados, mas no caso da homeopatia só existia este efeito, enquanto que na medicina convencional existiam também efeitos reais de cura.
Continuar a pedir mais investigação, quando investigações de excelente qualidade já mostrou repetidamente que a homeopatia não é mais eficaz que um placebo, seria uma hipocrisia.

8. O meu homeopata diz que a homeopatia funciona em crianças e animais. Isso não pode ser um efeito placebo, certo?

É uma falácia usualmente citada, esta ideia que as crianças e os animais são imunes de alguma maneira ao efeito placebo. Na realidade, os efeitos placebo são observados facilmente em animais e crianças, incluindo bebés, pois quem avalia se determinado remédio funciona ou não é um adulto.

[edit: Para saber mais sobre o efeito sobre animais consultar o artigo de David Ramey no Science-based Medicine]