10:23 em Portugal

Consumidores em Portugal vão tomar uma “overdose” de “medicamentos” homeopáticos em público

Ativistas de direitos do consumidor em Portugal anunciaram hoje a sua intenção de tomar uma “overdose” homeopática no próximo mês em parceria com um protesto global contra estes remédios alternativos.

Os manifestantes vão consumir dezenas de comprimidos homeopáticos na manhã de 5 de Fevereiro de 2011, às 10:23, no Jardim do Príncipe Real em Lisboa, com o objetivo de sensibilizar o público para a ineficácia dos “remédios” homeopáticos. Pretendemos também questionar a opção do Infarmed de permitir que estes produtos sejam classificados como medicamentos nas farmácias, o que os legitima aos olhos dos clientes.

Imagem da campanha em 2010
Manifestantes no Reino Unido na Acção de 2010

A manifestação está a ser organizada por cidadãos livres como parte da campanha 10:23[1], um protesto global que começou nos Reino Unido. Eventos semelhantes irão acontecer em várias partes do mundo, com protestos já anunciados em mais de 25 países – e Antártida!

Catarina Pereira, membro da organização portuguesa, disse:

“A maioria das pessoas não sabe que os produtos homeopáticos são, basicamente, só açúcar e água, pensando tratar-se de produtos naturais ou de ervanária. Se eu vou a uma farmácia estou à espera que o farmacêutico me recomende remédios que funcionem e cuja eficácia esteja comprovada. Não estou à espera que me venda açúcar a preço de ouro. Temos de poder confiar nos nossos profissionais de saúde.”

Segundo Michael Marshall, coordenador da campanha internacional:

“Pretendemos mostrar que existe um sentimento crescente em todo o mundo de pessoas que acham que já se gastou demasiado tempo e dinheiro em remédios homeopáticos.

Nos duzentos anos desde que a prática da homeopatia existe, não há nada que sugira que os produtos funcionem e, porque são somente água e açúcar, é impossível que os seus efeitos sejam aqueles que os homeopatas alegam.

Milhares de milhões de libras são gastos todos os anos a nível mundial nestes produtos e quando é explicado o que são e como são produzidos, a maioria das pessoas fica chocada que estes tratamentos inúteis ainda possam ser vendidos a um público não informado”

A campanha 10:23 foi lançada há um ano no Reino Unido, com quase 400 manifestantes a participarem num evento de “overdose” em todo o país. Em seguida a principal cadeia de farmácias britânicas admitiu  que os comprimidos só são vendidos porque os consumidores os compram e não porque são eficazes.

A campanha tem o nome do número de Avogadro – uma constante científica que pode ser usada para demonstrar que as poções homeopatas não contêm ingredientes ativos.

Embora possa haver quem afirme que disponibilizar comprimidos de açúcar seja inofensivo, o apoio que as farmácias e os profissionais de saúde dão a poções homeopáticas tem consequências graves. Para além de minar a confiança do público na medicina e nos conselhos dos médicos, pessoas com graves doenças podem deixar de ir ao médico na crença que a homeopatia possa tratar o problema.

Uma investigação da BBC em Janeiro de 2011 mostrou que homeopatas estavam dispostos a dar produtos homeopáticos ineficazes a viajantes como substitutos de tratamentos anti-malária verdadeiros, assim como alternativas inúteis a vacinas.

A campanha 10:23 está a organizar protestos em mais de 23 cidades de 10 países dia 5 de Fevereiro de 2011.

————

[1] A Campanha 10:23 é uma rede de cépticos que tem por objetivo sensibilizar o público para a realidade da Homeopatia: Como sabemos que não funciona e como é importante que os doentes tenham o direito à informação que lhes permita tomar decisões informadas sobre a sua saúde. http://www.1023.org.uk/

One Response to 10:23 em Portugal

  1. Pingback: Portal Ateu » Promover a ciência e racionalidade

Comments are closed.