10:23 em Lisboa

Hoje, no Príncipe Real, tal como anunciado, um grupo de cidadãos reuniu-se para consumir em simultâneo produtos homeopáticos.

A acção realizou-se hoje em Lisboa, com 13 indivíduos a consumir o conteúdo de um “medicamento” homeopático – à venda nas farmácias portuguesas, com o aval do Infarmed.

Nenhum dos participantes sentiu diferença para além da sobre-dose de açúcar. O mesmo resultado pode ser verificado em todo o mundo onde a campanha 10:23 está a decorrer.

About L Abrantes

Bachelor degree in Tourism, Degree in History. Currently pursuing a master's degree on History and Philosophy of Science Co-Found and collaborator at COMCEPT - Comunidade céptica portuguesa. http://comcept.org
This entry was posted in Homeopatia and tagged , . Bookmark the permalink.

14 Responses to 10:23 em Lisboa

  1. renato says:

    figura triste, cambada de anormais, assim vai o nosso triste Portugal…

  2. renato says:

    o problema é que voçês não devem ter nada em que pensar e fazer, pois se assim fosse não se dedicavam a estas causas… façam voluntariado ou outras coisas mais úteis à sociedade que mergulhou nesta crise de valores.
    Gosto da homeopatia e não ando com bandeiras a descridibilizar a Medicina Alopática (da qual tb sou utente e não resolvi algumas patologias). Menos Radicalismo nas acções e mais atitude é o k se pede. Gastam-se muitos milhares e morre tb muita gente na Medicina Convencional…

  3. L says:

    Caro Renato,

    Permita-me ser frontal. Da maneira como afirma que nós não temos mais nada que fazer para além de defendermos a causa de querer incutir um bocadinho de pensamento crítico a esta sociedade (que, de acordo com a sua afirmação, e da maneira como consigo ler as suas palavras, mergulhou de olhos fechados no pensamento mágico), o senhor não parece muito investido em coisa alguma, apenas debita o seu gosto pessoal e não parece ter argumentos sólidos para enfrentar as críticas que são feitas à sua crença.

    Como as pessoas não são a preto e branco e manifestações destas não podem, nem devem, ser tomadas como a totalidade das nossas atitudes, acredite que a crítica, que lhe fiz no parágrafo anterior, resulta apenas do cansaço de ler constantemente este tipo de não-argumento e não de considerar que as suas palavras sejam apenas o receio de ser confrontado com opiniões diferentes.

    Tendo disto isto, onde está o nosso radicalismo?

  4. renato says:

    Caro Pedro,

    Factos são Factos!
    o que lhe posso afirmar é que resolvi vários problemas de saúde muito complicados atravês da Medicina Homeopática e cujos médicos exercem também Clínica geral.
    Não obstante procurava ajuda a Homeopatas só, caso precisasse.
    Não mergulhei em pensamentos mágicos, não me conhece o suficiente e garanto-lhe que já deixei essa idade lá para trás.
    Apenas não me considero uma pessoa fechada, tal como V/ Ex.ª que deve ter procurado a homeopatia e não se deve ter dado muito bem. Mas é como tudo na vida…
    Cada um tem o livre arbítrio para ser tratado onde quiser e da forma que quiser.
    Nos “países desenvolvidos” esta é sem margem de dúvidas a medicina actual/futura.

    Em meu entender a V/ campanha visa simplesmente denegrir a Homeopatia de uma forma absurda e que não corresponde à realidade.
    Atentamente.

    • L says:

      Não se deve ter percebido que fui eu, Leonor, a responder-lhe.

      Tem razão, factos são factos. E os factos dizem-nos que a homeopatia não funciona, não tem agentes activos para funcionar.

      Desconheço os contornos do seu problema, se resolveu a situação usando em simultâneo medicamentos e produtos homeopáticos, se o tratamento que fez foi de nome a homeopatia, mas no fundo tratava-se de fitoterapia (prática bastante comum), etc. Mas relatos pontuais não são evidência.

      Esta acção – vou repetir aquilo que está explícito, inúmeras vezes neste site – pretende informar as pessoas, não proibi-las de seguirem os tratamentos que mais gostam – o que em si, mostra que não é uma escolha muito informada, porque a saúde não é uma questão de gosto.

      O facto desta terapia pré-científica ter aumentado consideravelmente nos países desenvolvidos é um reflexo do bem-estar, do melhoramento das condições de higiene e dos avanços e sucessos da medicina em tratar doenças e mesmo irradicá-las. As pessoas destes países podem dar-se ao luxo de “tratar” uma dor de cabeça com um placebo.

      Felizmente, nos últimos anos, a homeopatia é das terapias ditas alternativas, aquela que está a perder terreno porque não consegue mostrar eficácia e pode ser mesmo perigosa se tomarmos atenção aquilo que alguns dos seus proponentes recomendam.

      Esta é uma campanha mundial que procura mostrar o que é a homeopatia. Que os produtos homeopáticos vendidos nas farmácias não têm qualquer princípio activo e que, por isso, não devem ser vendidos como medicamentos.

      Leonor

    • Pedro Homero says:

      Caro Renato,

      1) Os seus vários problemas de saúde foram resolvidos; isso é o mais importante. Contudo, dizer que foi por causa da homeopatia ou por outra razão, pode estar errado – veja, por favor, a resposta a este argumento no seguinte texto: https://1023portugal.wordpress.com/2011/02/04/os-argumentos-a-favor-da-homeopatia/

      2) O Renato assume que procurei a homeopatia e que me dei mal, e que por isso estou contra ela. Assume mal, no entanto – nunca procurei usar homeopatia porque antes de o fazer, informei-me sobre o que era e tentei descobrir se era eficaz ou mero placebo. Aliás, o argumento “usei e não funcionou, logo não funciona” está tão errado como “usei e funcionou, logo funciona”. A leitura do link que coloquei acima também responde a isto.

      3) Cada um tem livre arbítrio, e ainda bem que assim é, não poderíamos estar mais de acordo; acontece é que o arbítrio só é livre se for informado. Sem informação não há poder. É por isso que queremos informar as pessoas, para que saibam exactamente o que a homeopatia é (comprimidos sem princípio activo, só excipientes, como aliás os próprios homeopatas e os farmacêuticos se vêm obrigados a admitir) e porque é que parece funcionar.

      4) Fala de medicina actual/futura. Não sei a que se refere. A mim, pessoalmente, interessa-me a medicina que previne, trata e cura. Seja ela qual for. Mais nada.

      5) Gostaria que me explicasse melhor, se tiver vontade, porque é que denegrimos a homeopatia de uma forma absurda e que não corresponde à realidade. Se puder apontar exemplos específicos no nosso site, seria ouro sobre azul, pois queremos ser rigorosos e não vincular mensagens erradas.

  5. Helena says:

    Um pouco de leitura não vos faz nada mal.

    “As Mensagens Escondidas na Água” – Masaru Emoto

  6. Helena says:

    Calma Sr. Homero,

    o Sr. tem alguma formação superior de base que lhe permita discutir taco-a-taco com o Dr. Emoto?
    Ao que julgo saber, o Dr. Emoto é Bioquímico…

    A julgar pela sua resposta parece-me mais um Pseudo-licenciado frustrado desta sociedade.

    • Pedro Homero says:

      O Dr. Emoto tem um doutoramento de uma universidade à distância, destas que basta pagar e escrever um par de textos para ter um diploma.
      Seja como for, e independentemente da formação de cada um, interessa é saber se aquilo que cada um afirma está correcto ou não. O que o sr. Emoto afirma não parece estar correcto, como aliás vários dos links que forneci o demonstram.

      Por outro lado, o que é um “pseudo-licenciado”? Não percebo a expressão.

  7. Pingback: Campanha 10:23 « COMCEPT

  8. Pingback: Campanha 10:23 Portugal « COMCEPT

  9. Joana says:

    Os 5 “batanetes” vão juntar-se outra vez numa manif.? lolllll

Comments are closed.